POSTOS DE TRABALHO DOS SETORES ATENDIDOS PELA ABRASEL MANTÉM-SE EM QUEDA NOS PRIMEIROS MESES DE 2017

Posted on Posted in Economia, Gestão

Os setores atendidos pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (ABRASEL) com relação a oferta de postos de trabalho, teve saldo negativo, de 71 empregos, no último mês, sendo que para janeiro houve 118 novos empregos, uma redução, portanto, de 160,17%.

Três Lagoas teve o pior desempenho em fevereiro, sendo que este município foi o que obteve o melhor resultado na geração de empregos (3.506) em 2016.

Há uma clara mudança de trajetória: mais empregos em 2016 e menos empregos no início de 2017. Nos próximos meses, é interessante analisar como a situação estará avançando.

As funções que tiveram um maior fluxo de demissões e contratações foram as de atendente de lanchonete, auxiliar nos serviços de alimentação e cozinheiro geral, que na média, tiveram uma redução salarial muito pequena (em torno de 0,10%).

É possível verificar que as ocupações que estão com alto fluxo de demissões e contratações em fevereiro e janeiro, são as mesmas que obtiveram os dois maiores saldos negativos de empregos em 2016:  Atendente de lanchonete (-85) e Cozinheiro geral (-68). Assim, percebe-se que a redução da oferta de trabalho se concentra para essas ocupações.

Datasight-pesquisa-dados-negócios

COMÉRCIO VAREJISTA APRESENTA-SE COM O PIOR DESEMPENHO NO MERCADO DE TRABALHO NESTE INÍCIO DE ANO

Posted on Posted in Economia, Finanças

Atentando-se, sempre, a dinâmica do mercado de trabalho, uma análise geral sobre sua situação para o estado do Mato Grosso do Sul, propicia ao leitor ampliar as informações sobre sua região.

No último mês observou-se um saldo de 2.517 empregos formais, um crescimento de 188,98% com relação a janeiro de 2017, dos quais destaca-se os subsetores de Agricultura, silvicultura, criação de animais e extrativismo vegetal, Ensino e Comércio atacadista, com saldos de 863, 470 e 333, respectivamente.

O pior resultado é do comércio varejista, que desde o início do ano apresenta um saldo negativo de 727 postos de trabalho.

As ocupações com maior admissão para o mês de fevereiro foram os trabalhadores agropecuários em geral e vendedor de comércio varejista, que ao todo obteve-se uma média salarial de R$ 1.342,18.

A dinâmica atual de procura por profissionais capacitados, pode ser percebida ao comparar o grau de instrução dos novos postos de trabalhos com o das demissões. Trabalhadores admitidos com ensino médio completo, superior completo e incompleto tiveram um aumento de 16,22%, 31,01% e 4,94% respectivamente.

E não menos importante, para a abertura e fechamento de empresas, estima-se para o mês de março a criação de 557 empresas e extinção de 257.

Os dados apresentam que houve uma maior contratação de vendedores para o comércio varejista, mas apresentam também que este subsetor (comércio varejista), analisando o MS como um todo, ofertou menos postos de trabalho.

Há, portanto, um elevado número de contratações como também de demissões, e que o comércio varejista não está ofertando novos postos de trabalho, mas sim, diminuindo sua procura por trabalhadores.

A menor oferta de trabalho pode estar, entre outros fatores, relacionada à produtividade de profissionais mais capacitados, que conforme visto, são mais procurados pelo mercado.