empreendedorismo-concorrência-mercado-Datasight

CONCORRENTES OU PARCEIROS?

Posted on Posted in Concorrência, Consultoria, Empreendedorismo, Estratégia, Gestão, Mercado, Negócios, Planejamento, Posicionamento de mercado, Posicionamento estratégico

 

A grande conexão de empresas locais com o mercados cada vez mais distantes, tornou a economia no mundo todo mais complexa, a internet e o varejo online não só intesificou como acelerou este processo, tornando ainda mais complexas as relações comerciais atuais. Em um olhar mais amplo, temos vendedores comercializando com consumidores de outros países, com preferências e necessidades bem distintas dos consumidores locais, e portanto, concorrendo não mais com os vizinhos que comercializam localmente, mas agora com empresas de outros países, que por vezes, podem assumir vantagens de comercialização e produção em seus países.

Este é um breve destaque, para que seja possível compreender que o concorrente em um setor, qualquer que seja, mas principalmente os voltados ao mercado internacional, não são mais os mesmos, de modo que, é preciso assimilar estas novas realidades a gestão do negócio. Isto quer dizer que, não é possível olhar localmente para os antigos concorrentes de forma tão distante e hostil, mas é sim, preciso um novo olhar, principalmente no sentido de assumir um elo de parceria.

Esta parceria pode se dar de várias formas, no atendimento a nichos de mercado, na criação de novos produtos, na troca de informações e tecnologia, enfim, são inúmeros modelos que podem ampliar os horizontes do seu negócio e torná-lo mais competitivo, desde que, é claro, esta parceria seja conduzida de forma a gerar benefícios mútuos e seja gerida para que os resultados desejados sejam alcançados. Gerir a parceria significa antes de tudo planejar e definir objetivos claros, tempo de parceria e os termos em que ela irá ocorrer. Segundo passo é estabelecer um cronograma de atividades, evidenciando claramente as atribuições de cada parte da parceria, contatos constantes e até mesmo a abertura da operação para o parceiro, em alguns casos são cruciais para o exito da parceria, por fim a avaliação de resultados.

Neste processo, o bom senso e uma boa dose de empatia são fundamentais, de modo que ser parceiro é primeiramente aprender a ceder em alguns momentos para obter ganhos maiores e melhores em outros. Pense nisso, parcerias não precisam nem necessariamente envolver recursos financeiros para serem de grande valia, pois conectados podemos fazer mais e melhor.

pesquisa-mercado-planejamento-negócio-Datasight

NOVO NEGÓCIO, NOVAS HISTÓRIAS E UM NOVO CAMINHO

Posted on Posted in Empreendedorismo, Mercado, Negócios, Planejamento

 

Os resultados da economia tem mostrado mensalmente um número cada vez maior de desempregados, seja por própria vontade, seja por uma motivação extra por uma vida melhor, tempo de qualidade, salários melhores, trabalho em casa, enfim. Essa situação aliada a uma grande tendência mundial de se repensar a rotina e a jornada de trabalho, tem direcionado muitas pessoas no mundo todo a pensar em como se reposicionar no mercado de trabalho, e em muitas vezes, abrir uma empresa é a opção escolhida.

A vontade de conduzir algo próprio, que traduza seus sentimentos, que seja responsável pelo sustento da sua família, e principalmente que conecte as pessoas com um sentido maior, principalmente que se reverta em um sentido importante também para outros grupos ou até para a sociedade, é uma característica fundamental dos negócios, que tem surgido.Diante de todo este belo cenário que constitui o novo impulso empreendedor, é triste observar que muitos negócios se constituem e em meio as adversidades do mercado e da gestão, rapidamente fecham, levando todo o idealismo, sonhos e muitas vezes o investimento consigo, e deixando no lugar, a frustração de não ter obtido exito. Diante deste cenário, decidimos escrever com algumas sugestões importantes para este processo!

1. Esteja decidido, apaixonado, mas consciente das consequências:

A paixão pelo negócio, leva a uma certeza que engana em relação ao caminho que seguiremos. Possuir um pequeno negócio, em meio a uma economia com sinais de recessão, e com um ambiente tão hostil como é o do Brasil, será com certeza uma tarefa árdua, e você também deve estar preparado para isso, renúncias, entregas, limites, condições possíveis, mas nem sempre as ideais. Saiba que não existe só a certeza mas também algumas frustrações e barreiras a vista, e esteja 100% disponível a superá-las.

2. Conheça muito bem o negócio, antes mesmo de iniciá-lo:

Dezenas, centenas ou milhares de fatores inesperados acontecerão assim que abrir as portas do negócio no primeiro dia, e não tem como intervir de forma definitiva nisso, porém, é possível minimizar estes acontecimentos. Conhecendo o negócio muito bem e sabendo onde os problemas podem eventualmente surgir e como resolvê-los. Isso pode ser feito antes mesmo da abertura do negócio, com muitas visitas a outros estabelecimentos semelhantes, com pequenos experimentos em relação ao produto – em casa mesmo quando é possível – com pesquisas sobre negócios que deram certo no mesmo ramo de atividade, existem várias formas. Uma ferramenta que pode ajudar muito neste ponto é a elaboração de mapas mentais, com as possibilidades.

3. Tenha um bom planejamento, que seja acessível.

A onda dos planos de negócios parece ter se acalmado, e a grande ferramenta da vez são os mapas estratégicos, do estilo CANVAS, e já existem diversos outros desdobramentos. Ambas as ferramentas são bastante interessantes, desde que sejam acessíveis, de fácil compreensão e que permitam um contato homogêneo de todos os envolvidos na execução do projeto, essa nos parece a etapa mais importante do planejar – conectar as pessoas a ideia a ser executada – para isso abuse de imagens, cores, lembretes, que são características do Design Thinking, que sim, é um método incrível para proceder estas ferramentas de planejamento, e é incrivelmente acessível também.

4. É possível ou é preciso redimensionar?

Neste ponto essa é a pergunta a ser feita, se o planejamento excede o montante de recursos, é preciso repensá-lo e adequar as idéias de forma que seja possível dar os primeiros passos e fundamentais da forma correta, e importantíssimo. seja possível uma pequena reserva que possibilite uma mudança caso necessária. Não sendo possível esta readequação, pois ela fere diretamente a execução do negócio, seja muito prudente em pensar entre em um pequeno adiamento do projeto, analisar possibilidades de incorporação de investimento por meio de “anjos”, crowdfunding, agentes de investimento, cooperativas de investimento e por fim em bancos comerciais ou tradicionais de investimento. Este é um ponto crucial, começar totalmente endividado e com um negócio além do que era possível, pode causar sérios danos futuros.

5. Saiba as preferências principais e o que deseja entregar ao seu público!

É óbvio que não será possível conhecer exatamente oque o seu público deseja, porém, exercite ao máximo isso antes de começar o negócio, pois fará com que coloque algumas pautas e detalhes importantes na composição do negócio, e agradará mais quando iniciá-lo. Procure fatores comuns de gênero, idade, lugares, experiências, desejos, aspirações, trajetória e principalmente algo que traduza sentido para as pessoas a quem deseja atender, isso conectará elas ao seu negócio pelos valores os quais você põe diante da sua marca e produto. Delimite bem o seu público, isso pode ajudar bastante! A internet e as redes sociais podem ser uma ferramenta essencial neste processo.

6. Eureca!

Abra o seu negócio! Neste ponto você certamente já enfrentou muitos desafios, porém saberá, caso tenha seguido uma linha de execução próxima a esta, que seu negócio esta preparado. Porém, aqui surge um grande risco – da acomodação – portanto, a partir daqui, não deixe de testar novas idéias, e principalmente, de ouvir o que seus clientes dizem sobre a experiência com seu negócio, isso pode dar boas pistas de novos rumos a seguir e de onde incrementar o negócio, não fique acomodado, pois o mercado rapidamente engolirá o seu negócio, sem piedade. Um quadro de idéias, ou ambientes online, que sejam colaborativos, podem ser um excelente fruto de inspiração.

7. Tic tac …

Organize seu tempo, estabeleça prioridades e faça uma gestão intensa da sua empresa. Não fique somente ligado a produção final, pois isso pode custar furos nas finanças, erros na estratégia e descoordenação das pessoas. É importante que divida seu tempo e se atente aos dados da empresa, as informações da economia, aos resultados percebidos, a estratégia central do negócio tudo isso de forma próxima a equipe e ao público consumidor, ou seja, demandará bastante organização e esforço de gestão, esse é um ponto crucial para a manutenção saudável do seu negócio e da sua vida pessoal. Ferramentas como o Google Apps for Works, Scrum e Trello podem ser ideais para esta organização da rotina.

Obviamente, haveriam muitas outras contribuições e detalhes que poderiam ser elencados quanto a este processo, no entanto, estes são pontos que consideramos cruciais, e observados como erros mais frequentes neste novo processo empreendedor que estamos vivendo na atualidade. Esperamos então contribuir um pouco para você que esta nesta caminhada ou mesmo que pensa em iniciá-la.

Um forte abraço da equipe Datasight!