Datasight-pesquisa-inteligência-negócios-gestão

CURSO DE FINANÇAS PESSOAIS PODE RESOLVER SEUS DESAFIOS

Posted on Posted in Finanças, Gestão, Workshops e cursos

Todos os anos, muitas pessoas prometem que vão dar um jeito em seu orçamento pessoal. As promessas vão desde controlar mais os gastos até guardar dinheiro para o futuro. Mas nem sempre as coisas acontecem conforme prometido. A Datasight Pesquisa e Inteligência de Negócios juntamente com o Conselho Regional de Economia vai te ajudar a sair dessa com o curso de finanças pessoais. Não perca essa oportunidade!

(mais…)

inflação-pesquisa-análise-dados-Datasight

O QUE É INFLAÇÃO E COMO ANALISÁ-LA?

Posted on Posted in Economia, Finanças, Gestão

Sempre precisamos estar atentos às mudanças nos preços, variável esta, que afeta em muito os negócios. Para isso, o IBGE disponibiliza o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)*, sendo possível assim, calcular a variação percentual nos preços, ou seja, a inflação.

Para o mês de março deste ano, a variação do IPCA no Brasil, foi de 0,25%, que se comparado a março de 2016, mostra uma queda de 0,18 pontos percentuais (p.p.). Ao comparar os meses de fevereiro e janeiro de 2017, com os mesmo meses do ano anterior, nota-se também uma queda, de 0,57 p.p. e 0,89 p.p. respectivamente.

Em Campo Grande – MS, a variação no IPCA, para o mês de março, foi de 0,14%, representando uma queda de 0,29 p.p. com relação ao mês de março de 2016. Fevereiro e janeiro mantiveram também uma trajetória de queda, com 0,30 p.p. e 0,82 p.p. respectivamente, com relação aos mesmos meses, em 2016.

Os grupos com maior índice de inflação, para março/2017, em Campo Grande, foram os de Habitação (1,13%), Educação (0,57%), e Despesas pessoais (0,46%). No Brasil, mantiveram-se os dois primeiros grupos, com variação de 1,18% e 0,95%, enquanto que o terceiro foi o de Saúde e cuidados pessoais (0,69%).

Evidencia-se, com base nos dados apresentados, que está ocorrendo uma redução da taxa de inflação, fato este que está em consonância com as notícias divulgadas na mídia sobre o assunto. No entanto, essa queda na inflação é benéfica, pois isso condiz com redução nos preços e, portanto, maior consumo? Ou, está mostrando a crise enfrentada pelo país, onde o consumo está baixo, e devido a isso, os preços estão assumindo uma trajetória de queda?

Estas indagações nos indicam que, a percepção de que baixa inflação é algo bom, pois os consumidores terão maior poder de compra, e assim haverá o aquecimento da economia, deve ser deixada de lado, atentando-se ao que os dados realmente mostram, e traçar assim, as melhores estratégicas para encarar o cenário econômico atual.

Nota: * O IPCA abrange famílias com rendimentos mensais compreendidos entre 1 e 40 salários-mínimos, qualquer que seja a fonte de rendimentos, e residentes nas áreas urbanas das regiões (IBGE, 2017).

CRISE, CRISE, CRISE…

Posted on Posted in Economia, Finanças, Gestão, Planejamento

A todo o tempo, em todas as bocas, em todas as críticas. O que se ouviu no ano que passou foi a palavra crise. Repetiu-se tanto o termo, inclusive nos últimos dois ou três anos, não só em 2016, que a impressão que se tem é de que adentramos em uma treva sem saída, do qual nem a origem se tem mais notícias, quanto menos, se haverá um final que não seja a própria crise. Há os que ressuscitem Marx, os que dão receita, os que gritam por seus interesses, os que choram de fome, os que discursam sobre nada, os que procuram alguém para culpar e os que fazem trapalhadas no poder. Em meio a tudo isso, todos que se acreditam enquanto nação brasileira, tentam se manter com o mínimo de sanidade, se é que isso seja possível.

No entanto, não se observa neste meio, um grito de esperança que conduza alguns olhares a uma luz. Nós da Datasight, não acreditamos que seja possível, em meio a todos estes zumbis da CRISE, que não haja um só pingo de protagonismo, de um povo que tome para si a responsabilidade de mudar tudo, isso por si próprio, em pequenas ações que seja. Acreditamos no protagonismo, em pessoas que tomam a frente de suas vidas e a conduzem de forma consciente à prosperidade, independente de tudo que a cerca.

Por este motivo, deixamos este texto, como uma forma de repúdio a este discurso prolixo, que se instala por todo canto, sobre CRISE. Estamos aqui, pois acreditamos que enquanto estes muitos insistem em retransmitir esta mensagem de descrença, em si mesmos, existem outros tantos que podem ser um grito de esperança, e esperamos, que ao ler este texto, se você assim se sente, que se levante e assuma a sua posição de protagonista, dando de vez uma resposta a desesperança que se instalou neste país.

Nossa equipe se recusa a não ter esperança de que dias melhores virão. Nós faremos o que for possível em nosso dia a dia de trabalho, analisando dados e levando as soluções mais eficientes que pudermos àqueles que desejam fazer de cada dia, um dia melhor e mais assertivo em suas ações, negócios, projetos ou carreira. Se você também acredita que o melhor de si, se colocado em prática pode ajudar a mudar a sua realidade, do seu negócio e dos que o cercam, divulgue este texto e deixe palavras de apoio em suas redes sociais, distribua sorrisos e palavra de otimismo e inspire também outros a se envolverem neste clima positivo, de esperança.

Um abraço fraterno de toda a equipe Datasight!

#pordiasmelhores

#protagonismo

#vailáefaz

finanças-planejamento-Datasight-dinheiro-orçamento

NOVO ANO, NOVOS CUSTOS

Posted on Posted in Consultoria, Economia, Finanças, Gestão

Uma boa maneira de começar um novo ano, no seu negócio ou projeto, é fazendo uma boa revisão dos custos de operação do mesmo. Olhando para os custos é possível ter um boa noção de como reorganizar alguns processos, que podem na verdade estar sendo pouco eficientes, no sentido dos custos, gerando altos custos e construindo resultados pouco relevantes. Desta maneira, uma excelente prática, para este ínicio de ano, é a reformulação do orçamento ou mesmo a construção de um orçamento para o ano, ou para um horizonte maior.

Você deve então estar se perguntando como contruir um orçamento? Ou mesmo, o que de fato é um orçamento? Basicamente o orçamento é uma estimativa detalhada dos custos e possíveis despesas para um determinado período de tempo. Ele pode ser organizado a partir das atividades a serem desempenhadas, obedecendo, portanto, um cronograma físico-financeiro, ou mesmo, a partir da estrutura de rúbricas e centros de custos. Como etapa inicial vale analisar anos anteriores, se existiram ações semelhantes ou não, ou mesmo o quanto foi gasto em cada rúbrica, de forma a obter um parâmetro para a realização do orçamento atual.

Uma segunda e importante etapa, se constitui na reunião das partes envolvidas (colaboradores e fornecedores) de forma a buscar obter o quanto realmente se pode fazer de novo, manter o que já é realizado, e principalmente, saber as condições de mercado (preço, prazo de fornecimento, quantidades mínimas, etc) para a relação com os fornecedores neste novo ano que se inicia. É recomendável que esta etapa ocorra em duas partes, conforme a sequência apresentada.

Feitas estas duas primeiras partes, é momento de imergir com a sua equipe no planejamento do orçamento. Isso deve envolver toda a controladoria, finanças, tesouraria, caixa, e a equipe de execução ou vendas, de modo que um olhar participativo garanta o máximo de possibilidades inclusas num primeiro momento, que devem posteriormente serem refinadas a partir de uma análise estratégica, baseada em dados do seu sistema de gestão ou dos controles. Ao final desta etapa, espera-se que seja possível visualizar um esboço das ações ou rúbricas e dos montantes desejáveis de gastos para cada uma delas, divididos em custos e despesas.

Finalmente é hora de validar a possibilidade de realização, pactuar com fornecedores, parceiros e equipe e colocar o orçamento em prática, controlando rigorosamente para que seja possível, ao fim do período, observar o rigor de cumprimento do orçamento, os resultados alcançados, e os ganhos em termos de economicidade ou despesas desnecessárias.

Pense no seu orçamento, se precisar de ajuda, entre em contato pelo endereço contato@datasight.com.br ou em nossa fanpage: https://www.facebook.com/datasight.

Datasight-gestão-inteligência-de-negócios

E O MERCADO FINANCEIRO COMO INVESTIR?

Posted on Posted in Finanças, Mercado financeiro

O mercado financeiro é para muitos objeto de muitos preconceitos. Uns o julgam por parecer complexo, outros por não conhecerem bem suas possibilidades e acharem que ele se resume aos títulos, outros por julgarem que é um meio fácil de “ganhar dinheiro”, mesmo com o desconhecimento de como o fazer neste mercado. Como nós acreditamos que informação tem capacidade de modificar opiniões, desde que, fundamentada e estratégica, realizamos nesta semana um bate papo com um especialista neste mercado, o economista e assessor investimentos certificado pela CVM, associado a Lifetime Investimentos, Rennê Xavier**, nosso amigo e parceiro de longa data, com o objetivo de apresentar detalhes relevantes sobre este mercado. Por isso vamos direto a fala do nosso especialista:

Rennê, de forma bastante direta, qual a melhor forma de realizar investimentos no mercado financeiro?

O Brasil está passando por uma revolução na forma de investir dinheiro. Equivale à década de 70 nos EUA, quando 95% da população investia nos bancos mais populares, e por conta da queda da taxa de juros real americana, a população começou a procurar alternativas melhores  de investimento que dos bancos  mais populares, fortalecendo assim, a figura das corretoras de valores. A melhor forma hoje de se investir é através das corretoras independentes, pois elas conseguem trazer, através de um único cadastro, a opção de se investir em várias instituições financeiras, democratizando nossas aplicações, que ficavam antes restritas no banco ao qual você tinha conta.

A complexidade é normalmente um item que incomoda muito as pessoas, que costumam achar que o mercado financeiro é inacessível, isso é uma verdade? Ou os investimentos financeiros são acessíveis a qualquer público?

Desprezando um pouco a nossa velha Caderneta de Poupança, os investimentos são em certa parte acessíveis. No passado somente afortunados tinham acesso, e talvez por isso se tenha essa ideia de inacessibilidade até hoje.

Hoje, com 30 reais você consegue comprar um título público que não só rende mais que a poupança mas também mais segurança, e com os mesmos 30 reais você é capaz de comprar uma ação da Ambev, por exemplo, empresa que cresceu mais de 660% nos últimos 10 anos. Logicamente estamos falando de dois investimentos completamente diferentes, e possuem custos diferentes. Mas sim, o mercado financeiro vem se tornando mais acessível.

Um outro ponto interessante é como empresários e gestores financeiros parecem não ter muito contato com o mercado financeiro, para este público como podem melhor utilizar mercado financeiro? Por que devem acompanhar o mercado financeiro? E de que formas este mercado pode interferir nos negócios?

O mercado financeiro interfere direta e indiretamente na vida de muitas pessoas e muitas empresas. Acredito que todos saibamos como o dólar pode interferir em nossos negócios quando pensamos em importação e exportação, por exemplo. Mas existem outras variáveis importantes a serem analisadas desde a arroba do boi, que é importante para o produtor ter uma base de quanto ele poderia vender o seu rebanho e juros futuros, que indicam o “preço do dinheiro” no futuro (juros altos, empréstimos e financiamentos também altos). Mantemos contato direto com estas variáveis diariamente, muitas vezes não percebemos.

O mercado financeiro ajuda de diversas formas o nosso empresariado. Ele pode não só fazer investimentos para si, como também para a sua empresa. Alguns usam os investimentos financeiros para diversos objetivos dentro da empresa, como por exemplo: gestão mais eficiente do caixa, proteção contra oscilação do dólar (caso ele seja um importador ou um exportador), proteção contra oscilação de commodities agrícolas (caso seja um produtor rural), etc.

Conheço muitas empresas que estão estruturando a própria área de investimentos, porque descobriram a importância de dedicação a esse assunto.

Vamos imaginar um empresário, que importe muita matéria-prima em dólar.  Se o dólar subir perante o real sua mercadoria se encarece e ele seria obrigado a repassar o preço para o consumidor interno, mas como  provavelmente ele tem concorrentes e sabe que não pode mudar de preço da mercadoria final à medida que o dólar sobe ou desce, seria inviável. Uma das soluções seria comprar um direito de compra de dólar no futuro (Opção de compra), semelhante a um seguro de carro. Caso o dólar suba acima do preço combinado, no vencimento do contrato, o empresário exerce o direito de comprar um dólar caro a um preço mais barato, podendo assim compensar o encarecimento da  matéria prima, e caso o dólar caia, sua matéria-prima fica barata e ele paga apenas o direito que adquiriu.

Algo que todos desejam saber sobre o investimento no mercado financeiro é sobre os seus custos, muitos acham que é preciso muito dinheiro envolvido em transações assim, fale um pouco mais sobre Quais o custo de investir no mercado financeiro? Qual o custo de uma assessoria de investimentos? E se é seguro investir dessa forma?

Há alguns custos diretos e indiretos de se investir no mercado financeiro, assim como qualquer outro tipo de investimento. Alguns deles são: taxas de administração, em fundos e investimento; taxas de custódia, em renda fixa e renda variável; corretagens, em renda varável, e outros custos. Esses custos variam de acordo com a instituição financeira através da qual serão feitas as transações. Muitas pessoas não sabem, mas nos bancos tradicionais também se pagam taxas e posso afirmar que são bem mais caras que empresas independentes. Cabe ao investidor fazer uma pesquisa de mercado para pagar as menores taxas e os melhores serviços.

O Assessor de investimentos é o especialista, que vai auxiliar o investidor a aplicar seu dinheiro de acordo com seu perfil e objetivos de vida. E é extremamente seguro investir desta forma, inclusive acredito, que é até mais seguro, pois a pessoa tem um profissional a sua disposição, que vai entendê-lo por completo, não permitindo que ele caia em algum tipo de investimento longe do seu perfil.

Uma assessoria de investimentos não traz custo adicional ao cliente. Quando um ativo é comprado, por exemplo, um CDB 120% do CDI, esse investimento  já paga uma comissão ao assessor. Isso traz um círculo virtuoso, jogamos no mesmo time do cliente.

É bastante claro então, pela fala do nosso especialista, que  o mercado ofinanceiro não pode nem deve ser visto com tantos pré-conceitos, pois tem influência direta nos negócios e é um importante mercado regulador de alguns variáveis econômicas de muita importância, principalmente para os negócios. Desta forma, é muito importante, principalmente com a evolução desse mercado e de seus agentes, estar antenado as oscilações que nele acontecem e também buscar alternativas que possibilitem a diversificação do investimento, com sabedoria, segurança e principalmente estratégia, para os negócios, projetos e pessoas.

Esperamos ter contribuído informações que os levem as melhores decisões! Ficamos por aqui, deixando os contatos do nosso especialista que estará a disposição para maiores dúvidas e esclarecimentos. Esperamos tê-lo mais vezes em nosso Blog Rennê, você e toda a equipe da Life Time!

Grande abraço, e uma ótima semana de investimentos!

** Contatos Rennê Xavier – AAI

Assessor de Investimentos

Direct: +55(67) 3253-0488

Office: +55(67) 3213-7480

Mobile: +55(67) 8167-0106

renne.xavier@lftm.com.br